Victoria Falls: A maior queda d’água do mundo

Victoria Falls: A maior queda d’água do mundo

novembro 3, 2018 0 Por lugaresincriveisadmin

Considerada o coração da África, as cataratas têm sua formação bem na fronteira entre Zâmbia e Zimbabwe. Listada entre as 7 Maravilhas Naturais do planeta, essa é a maior queda d’água do mundo.

Os números que envolvem essas cataratas são impressionantes: as quedas d’água chegam a 128 metros de altura, e vão ao encontro de um cânion com 1,7 km de extensão no Rio Zambezi, que fica entre os dois países.

As Victoria Falls fazem parte tanto do Parque Nacional Mosi-oa-Tunya (na Zâmbia) como do Parque Nacional Victoria Falls (no Zimbábue). Os parques junto com as cataratas foram escolhidas como Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1989.

A descoberta desse paraíso aconteceu de uma forma inesperada e curiosa. O explorador escocês, David Livingstone, foi possivelmente o primeiro europeu a se encontrar com a beleza dessas cataratas, em 1855. O nome dado à queda d’água foi uma homenagem de Livingstone à rainha Victoria, que ocupou o trono no Reino Unido até 1901.

Segundo os relatos históricos, a primeira reação de David Livingstone ao descobrir a queda d’água foi de espanto, por causa da fumaça formada pelas gotículas de água e do forte estrondo que vinha da região da catarata.

Mas não se engane: essa reação de espanto não foi exclusiva de Livingstone. Qualquer um fica de boca aberta quando se depara com aquela imensidão.

Apesar do nome “Victoria Falls” ter se tornado oficial e reconhecido internacionalmente, entre a população nativa a queda d’água continua sendo chamada de Mosi oa Tunya (a fumaça que troveja).

Dá pra se satisfazer em ir até lá somente pra ver de pertinho aquela imensidão. É possível chegar perto das cataratas tanto pelo Parque Nacional Mosi-oa-Tunya (Zâmbia) quanto pelo Parque Nacional Victoria Falls (Zimbábue).

A entrada pro parque no Zimbábue custa 30 dólares. Já do lado da Zâmbia, a entrada custa 20 dólares. Em cerca de duas horas, passeia-se tranquilamente em cada um deles, embora seja fácil perder a hora admirando a paisagem.